A Pobreza não tem Cor!

Para “alguns” a cor da pobreza e “negra”,para mim não!Nasci pobre como muitos”brancos””mestiços””pardos”,pessoas do nordeste, do campo”,gente humilde Brasileira!O meu destino e diferente,continuo a ser “negra”,não precisei mudar de cor pra ter um futuro diferente….
Cor da pele é só um detalhe!!!
Se vc se sente inferior o mundo vai te responder através de sua postura…A sua cor não e uma desvantagem,devemos parar com isso..
Nao digo que e a fácil mais ja estamos em 2011 ja e hora de superar isso!!!
Anúncios
Esta entrada foi publicada em maio 22, 2011 às 1:45 am e está arquivada sob a maioria da população e negra, cor de pele, criolo burro, negro favelado, pobre e preto. Guarde o link permanente. Seguir quaisquer comentários aqui com o feed RSS para este post.

Uma opinião sobre “A Pobreza não tem Cor!

  1. Vejo os jovens nas escolas públicas, jogarem fora a única chance de mudar o futuro. Eu "grito", tento fazê-los entenderem o quanto aquele pouco que nos é dado ali poderia se transformar em algo grande pra eles. Eu tinha uma professora que dizia, oportunidade é uma mulher de cabelos somente na frente uma vez passada, por trás você não consegue agarrá-la. Quem sabe a disciplina Etnia Brasileira não devesse ser introduzida nas escolas??? Queria tanto que os jovens sonhassem e buscassem os sonhos. Sou branca, nasci pobre, filha de acoólatra e estou aqui. Sei que poderia ter sido muito melhor se cedo alguém tivesse me induzido a não largar os estudos para não ter que correr atrás do prejuízo, mas tive que trabalhar. Acredito temos duas escolha na vida, sentar e nos colocar na posição passiva de vítimas, ou levantar e nos colocar na posição de vencedores. Ultrapassando os obstáculos dia a dia, levando avante valores que não ferem a liberdade e a dignidade dos outros,mas tudo isto passa pela educação. Podemos quebrar as correntes, o círculo vicioso que nos atrela a pobreza, mediocridade, ignorância e mendicância. Quando cito mendicância não falo somente daquela para matar a fome, mas falo da mendicância existencial, aquela em que para exigir nossos direitos, devemos quase que ficar de joelhos e aceitar como um favor. Se você pensar como minoria, será sempre assim, se pensarmos como uma unidade, como UM POVO, podemos não mudar as coisas, mas melhorá-las e muito. Deixe de ser o sujeito, para ser o verbo, a ação. Viva a Etnia Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: